Apartamento


Quanto tempo leva pra chuva passar e inundar essa ausência?

Nosso, digo, meu apartamento ficou um pouco menor desde que você foi embora. Quem diria. Não é mais tão aconchegante. Comprei alguns cobertores coloridos, estavam em liquidação. Será que assim o frio passa? A goteira tá aqui ainda. Não quis consertar. O barulho me agrada. Faz companhia. Raramente apago as luzes. Acho que é só pra te irritar. Ou pode ser esperança. Vai que um dia você passe por esses cantos da cidade, veja a luz acessa e resolva que está na hora de subir.

Sabe, eu não estou falando do apartamento. Não só dele.

O cheiro da vela de baunilha foi substituído por incenso. Ele tem um cheiro meio amadeirado, caso você esteja curiosa – auxilia na respiração, tô tendo aqueles surtos de falta de ar de novo. Dizem que também purifica a alma. Vi num desses programas de TV por aí. E estou precisando acreditar em alguma coisa. Deitado na cama, fiquei pensando em quantas velas apagadas carrego em mim. Quantos desejos desperdiçados. Se eu acender uma vela você volta? Ó, tô até apelando pra religião, as coisas mudaram.

O apartamento está de cara nova. Entra pra ver. Tua sede é de quê? Troquei o café por chá de camomila – devo confessar que não é tão gostoso. Quer fingir que nada aconteceu? Só dessa vez. Eu estou…Hm, como é que se diz? Olha, preciso tirar essa dúvida, se não terei uma eterna dívida com minha consciência. Tenho que arriscar. Entende? Preciso saber o que está passando pela sua cabeça. Se não agora, quando é a hora? O futuro não nos pertence. É doce, mas queima e o cheiro invade todo o apartamento. Preocupa os vizinhos.

Então venha. Mesmo pra dizer que encontrou outro apartamento para decorar. Mas antes, tire o sapato pra entrar. É um novo hábito. Um novo começo. Ah, comecei a ler aquele livro lá. Durmo lendo ele, todos os dias. Até que é interessante. Mas o filme parece ser melhor. A próxima história você pode escolher. Como sempre. E pode colocar manteiga na pipoca. Espera… Isso é uma coisa que ainda teremos que negociar. Caso você resolva ficar.

O fim apenas começou. Não precisa continuar. Você olhou a calçada ao entrar? Rabisquei ela de giz. Só pra te agradar.

O tempo obriga a deixar ir, mas não ensina como aceitar.

Ah não vai ficar? Era de se esperar. Esse apartamento é claustrofóbico. Preciso me mudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Menina, te contei? é um blog de Moda, DIY e Lifestyle