Limite


Onde estão os jovens de dez anos atrás? Ninguém parece se importar. VeloVelociVelocidaVelocidade. Bilhões de solitários. Apenas uma preocupação: VeloVelociVelocidaVelocidade. Bilhões que bebem vinho e falam e dizem palavrões de modo passional e riem – quando possível.

É impossível ter sonhos às seis horas da manhã num ônibus lotado. As pessoas esvaziam. Velocidade. É impossível!

Velo
ci
dade
/ Velocímetrô –
este é um poema longo.
lon-go. GO! espera, ainda não.
você terá preguiça de ler.
imagine um bocejo. agora.
está perdendo seu tempo.
precioso, feroz, veloz velocímetro.
desperdício. Falta de ritmo.
atentado contra a paciência.
delicada violência.
poema que vai e não voa.
história estancada.
a vida em sua fluidez natural, cedeu
velocidade fragiliza os laços humanos
paralisa. perdeu.
pare agora. ou aceite a len-ti-dão.
há várias formas em que se manifesta
sal-va-ção.
quinze segundos se foram.
não disse nada, nem ousarei.
seus olhos aceitaram o desafio.
em terra de desistência, quem
persiste é rei-
lógio.

Limite estourado.
Você lutou uma longa batalha para submeter o mundo à sua vontade. E a velocidade venceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Menina, te contei? é um blog de Moda, DIY e Lifestyle