Promessa


Já estive aqui. Já olhei este mesmo horizonte. E fiz planos. Meia-noite e a gente renasce.

Infinitas possibilidades. A ilusão tem de ser completa.

O champanhe estoura dentro de mim. E então a revolução no paraíso é adiada. De repente estou vivo, não tremo, não penso nos tempos difíceis, no aluguel, nos goles amargos, na morte e em todo resto. Não. Eu rio e bebo e fumo e canto e danço e pulo e espero que a vida aconteça sempre desta maneira.

Há tanto tempo não encontro tempo para me sentir assim. Estou renovado. Sinto-me pronto para pular dos mesmos abismos e reviver a sensação do voo. Os fogos anunciam promessas. O céu brilha e inspira os olhos. Deixarei que morra em mim o impossível. Fôlego dos sonhadores invade minhas vias aéreas; marionete; controla minhas ações. Os desejos tornam-se possíveis. Por um momento, estou presente, no comando, e questiono-me se já experimentei essa sensação. Esqueço.

São muitas as coisas que tornam-se obstáculos. É tão fácil errar o caminho, são tantas as estradas. O mundo não deve nada a ninguém. Ele rouba e derruba e oferece, mas jamais deve. A vida oferece-se nua, selvagem, indisciplinada, passional.

Falta tempo ou coragem?

Sei que o sol morrerá afogado no mar. Sei também que escolho entre morrer na praia ou conquistar.

Um comentário:

O Blog Menina, te contei? é um blog de Moda, DIY e Lifestyle