Tudo Tem Começo

sempre condenei o desperdício.
morder a própria língua deixou de ser rotina, é vício.

logo no início, a gente sabe tudo, mas finge que não interessa. a gente sabe, muito bem, quando termina o dia; e quando o fim nem começa.

odeio guardar lugar pro que não veio nem falta faz. não preciso insistir, quando o jeito mais fácil é deixar ir.

cansei. não experimentei o último pingo de azeite. não ousei o gole final de leite. é engraçado, se você for parar pra pensar, nem a espuma restante do sabonete, eu quis ensaboar.  sobrou shampoo, perfume e pasta de dente. engula tua saliva quente, não adianta tentar encontrar algum argumento. não existe razão que explique esses fragmentos. não é preciso vasculhar a memória, há sempre um pedaço abandonado para contar a história. o pacote de bolacha não chega ao fim, é sempre assim, sobram migalhas. restos que não se extinguem por completo. essa é nossa grande falha – se não a maior – desistimos deles. desistimos de tudo.

desistimos das coisas mais banais, sem levar em contar que esses deslizes são fatais. porque  tu sabe que a nossa luta, nossa garra, nossa vontade, elas vão só até a esquina. e voltam, pelo caminho mais curto possível. é incrível. eu só quero que me respondam, por favor, quantas vezes deixaremos de apertar o tubo? e de bater no fundo do frasco? e de usar todos os grãos de arroz? e todo o pó do café? quando poderei restaurar minha fé?

eu poderia ter conseguido dessa vez. tu poderia também. foi por tão pouco… cansamos de nos esforçar por tão pouco. é, é esse maldito azar que fica empacando a vida. coisa de louco.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Menina, te contei? é um blog de Moda, DIY e Lifestyle